12 de outubro de 2009

ESTUDO SOBRE O LIVRO DE JEREMIAS - parte 1

Deus chamou Jeremias para ser profeta do Reino Sul, i.e., Judá. Seu ministério abrangeu os últimos quarenta anos da nação, inclusive os dias que precederam a destruição de Jerusalém e a deportação do povo de Deus a Babilônia (627-586 a.C.).
Ministrou durante os reinados de Josias, de Joacaz, de Jeoaquim, de Joaquim e de Zedequias.
Durante esse período, a nação manteve-se rebelde contra Deus e confiava nas alianças políticas para conseguir livrar-se dos inimigos.

Jeremias conclamou o povo a arrepender-se dos seus pecados e os advertiu que não escapariam do castigo por rejeitarem a Deus e à sua lei.
Por causa da sua mensagem de julgamento e da sua devoção ao Senhor, Jeremias enfrentou muita oposição e sofrimento.

Depois da morte de Josias, o reino de Judá foi conduzido ao seu fim, pelo cativeiro babilônico.

Jeremias ficou na terra ministrando ao pobre restante citado em 2 Rs 24.14 .

Isaías tinha falecido há vários anos e o bom rei Ezequias fora sucedido pelo seu malvado filho Manassés, e durante 40 anos do reino dele não se ouvira nenhuma vóz profética.

Então se levantou Naum, e profetizou durante os últimos dez anos do reinado de Manassés, no tempo de Amon e por uns oito anos do reinado de Josias.

Foi justamente quando o ministério de Naum cessou que Sofonias e Jeremias começaram a profetizar, para serem seguidos mais tarde por Habacuque, e depois por Daniel, depois por Ezequiel.

Em outras palavras, jeremias profetizou por mais de 40 anos , durante os reinados de Josias, Joaquim (primeiro), Joaquim (segundo) e Zedequias (Jr 1.2,3).


OS PROPÓSITOS DOS PROFETAS


Os profetas eram enviados por Deus em 3 propósitos:

1- Entregar a mensagem divina de advertência da última oportunidade a um povo rebelde, cujo pecado e indiferença os conduzia a perdição, julgamento e ira de Deus.

Às vezes, as mensagens dos profetas eram atendidas pelo povo e o julgamento divino era suspenso.

Outras vezes, o coração do povo se endurecia contra Deus, com a mensagem dos profetas. Por isso , Deus permitiu Israel ser levado para o exílio babilônico.

2- Os profetas eram enviados para suplementar o ensino negligenciado pelo sacerdócio.

No Velho Testamento o cargo de sacerdote era passado de pais para filhos, contudo muitas vezes aqueles eram investidos nessa função, sem terem um relacionamento sadio com Deus, e sem desejo de servi-lo (Jr 2.8).

Naturalmente, o estado espiritual do povo se degenerou devido a falta de ensino (Os 4.6).

A fim de suprir a falha dos sacerdotes, Deus enviou seus profetas, para pregar e ensinar a lei divina.

3- Os profetas eram enviados para fazer o povo ver o plano completo de Deus para suas vidas.

Aqueles que foram levados ao cativeiro , naturalmente sentiram que Deus os tinha abandonado.

Os profetas bradaram com veemência que nada disso era verdade; lembravam ao povo que Deus permanecia onipotente como sempre, permitindo o cativeiro a fim de levá-los ao arrependimento.


JEREMIAS , SUA VIDA E MENSAGEM


O livro de Jeremias revela no profeta, o perfil de um homem de caráter extremamente firme, mas de coração muito sensível.

Ele chorou abertamente os pecados do seu povo e o julgamento que pairava sobre o mesmo.

A esse respeito ele se assemelhou a Cristo que também chorou pela cidade de Jerusalém (Lc 19.41-44).

Devido à hipocrisia e impiedade que prevaleciam naquela época, Jeremias foi instruído por Deus a pregar uma mensagem de repreensão e de julgamento iminente sobre a nação.

Essa mensagem era desagradável ao povo, e Jeremias , o mensageiro se tornou cada vez mais impopular.

Sem dúvida Jeremias era um profeta odiado de Judá e o de menor sucesso, de acordo com os padrões humanos.

A rejeição e a perseguição constantes que ele suportou levaram-no a ter , às vezes , crises de depressão.

Em certa ocasião ele ameaçou abandonar completamente o ministério porque a perseguição era intensa de mais. Porém, descobriu que o fogo dentro da sua alma era ainda mais intensa e assim não podia reter a mensagem de Deus dentro do seu coração, mas proclamá-la.
Muito embora Jeremias tivesse implorado ao povo que se voltasse de todo o coração a Deus, sua mensagem foi ignorada, sofrendo ele mesmo grande perseguição por isso.
Assim que Josias morreu, a nação mais uma vez entrou num declínio espiritual muito grande; a idolatria retornou e o pecado predominou tanto quanto nos dias de Manassés.
Uma vez que o povo não quiz se arrepender, Deus não teve outra escolha a não ser privá-lo de suas bençãos e proteção até que ele buscasse de novo perdão e libertação.
A CHAMADA DE JEREMIAS
O verso 5 do capítulo 1 de Jeremias conta-nos que o plano divino para o seu ministério já existia muito tempo antes do momento de seu chamado:
" Antes que eu te formasse no ventre, eu te conheci; e, antes que saísses da madre, te santifiquei e às nações te dei por profeta. "
Este versículo assegura que Deus tem um plano para cada um de seus filhos, mesmo antes deles nascerem.
Não se entra no exercício desse plano automaticamente. Ao contrário, isso requer aceitação e cooperação da pessoa chamada.
Deus avisou a Jeremias que se ele ficasse com seu coração voltado para as coisas vís (inúteis) dos seus dias, a oportunidade de serví-lo como seu profeta seria cancelada, mas se permanecesse fiel às doutrinas do Senhor se afastando de toda aparência do mal, seria com ele para guardá-lo e livrá-lo das mãos dos malígnos e das mãos dos cruéis.
Enquanto Isaías livremente se dipôs a ser profeta de Deus, Jeremias usou de resistência.
Sua resistência a esse ministério era baseada em profundos sentimentos de incapacidade.
Ele alegou que era ignorante e jovem demais para tão grande missão.
Em vez de concentrar-se em Deus, que o tinha chamado e que era suficiente para capacitá-lo para a tarefa a que o chamava, precisou ser despertado e encorajado a aceitar essa honra pelo próprio Deus.
Observe a predominância da palavra "eu" nas desculpas de Jeremias, contrastadas com o "Eu" de Deus:
JEREMIAS / DEUS
" Eu não sei falar " (Jr 1.6) / " Eu ponho na tua boca as minhas palavras "(Jr. 1.9)
" Eu sou uma criança" (Jr 1.6) / " Eu sou contigo" (Jr 1.19)
Durante a evolução da apostasia de Judá, muito embora parecesse que Deus estava dormindo e desinteressado no seu povo, a verdade é que Ele estava atentamente observando tudo o que eles faziam e que no devido tempo traria juízo e faria justiça quanto a eles.
Um pensamento paralelo encontramos em 2 Pe 3.9 , que diz:
" O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. "
Jeremias pareceria até mesmo um traidor do seu povo, recomendando , durante certo tempo, que se rendessem à Babilônia.
O conhecimento de tão grande dasafio enche Jeremias de incerteza, mas Deus lhe deu promessas encorajadoras.
Deus prometeu que forteleceria o homem interior de Jeremias, para suportar a rejeição e a oposição do povo e que Sua presença nunca deixaria o profeta . Jeremias nunca estaria completamente só (Jr 1.18-19) .
Saudações em Cristo Jesus .